Gloss√°rio

Palavra - Descrição

 

Agenda 21 - Plano de metas voltado para os desafios do século XXI (daí seu nome). Traçado pelos governos mundiais, tem como base definição de um programa que inclui a criação de mecanismos de financiamento para projetos de preservação ambiental e de transferência de tecnologias e ainda o estabelecimento de normas jurídicas para a proteção da biosfera.
√Āgua de Afloramento¬†- Exposi√ß√£o natural da rocha armazenadora de √°gua causada principalmente por eros√£o.
√Āgua do Solo¬†- √Č aquela √°gua contida no meio poroso pr√≥ximo √† superf√≠cie topogr√°fica; ocorre como √°gua pelicular.
√Āgua Salgada¬†- √Āgua que cont√©m concentra√ß√Ķes significativas de sal (acima de 3%), como a encontrada nos oceanos.
√Āgua Salobra¬†- √Āgua que cont√©m sal numa propor√ß√£o significativamente menor que a √°gua do mar. A concentra√ß√£o do total de sais dissolvidos est√° normalmente compreendida entre 1000-10.000mgl-1.
√Āgua Servida¬†- √Āguas de abastecimento de uma comunidade, rejeitadas depois de variadas utiliza√ß√Ķes. Em geral, s√£o os esgotos e podem resultar tamb√©m da mistura de res√≠duos ou despejos dom√©sticos com √°guas superficiais ou subterr√Ęneas.
√Āgua Superficial¬†- Toda a √°gua que se escoa ou √© armazenada na superf√≠cie terrestre.
√Āgua Termal¬†- √Č aquela √°gua subterr√Ęnea, naturalmente quente na sua emerg√™ncia; ou seja, acima da temperatura m√©dia da regi√£o.
√Āguas de Dom√≠nio Estadual¬†- S√£o √°guas estaduais os rios, riachos, lagos e lagoas pertencentes √†s bacias dos rios e afluentes dos rios federais, al√©m das √°guas acumuladas nos aq√ľ√≠feros em todo territ√≥rio.
√Āguas de Dom√≠nio Federal¬†- S√£o √°guas de dom√≠nio da Uni√£o para os rios (portanto, √°guas superficiais) quando atravessam mais de um Estado e/ou s√£o fronteiras com outros Estados ou pa√≠ses, ou √°guas acumuladas decorrentes de obras da Uni√£o, tais como: os rios, al√©m das √°guas acumuladas nos a√ßudes constru√≠dos pelos DNOCS ( Departamento de Obras Contra as Secas).
√Āguas de Esgoto¬†- √Āguas de consumo de uma comunidade, rejeitadas ap√≥s terem sido contaminadas por diversos usos, como por exemplo, as √°guas com res√≠duos urbanos do tipo dom√©stico, municipal e industrial, juntamente com √°guas subterr√Ęneas, superficiais e pluviais.
√Āguas Estagnadas¬†- √Āgua im√≥vel em determinada zona de um rio, lago, reservat√≥rio ou aq√ľ√≠fero.
√Āguas Interestaduais¬†- Termo aplicado a rios e vertentes ou bacias de capta√ß√£o que se situam dentro de dois ou mais limites pol√≠ticos estaduais.
√Āguas Residuais¬†- √Āgua que cont√™m res√≠duos, ou seja, materiais s√≥lidos ou l√≠quidos, que s√£o rejeitados ap√≥s serem utilizados, num processo industrial.
√Āguas Subterr√Ęneas¬†- S√£o √°guas que se infiltraram no solo e que penetraram, por gravidade, em camadas profundas do subsolo atingindo o n√≠vel da zona de satura√ß√£o, constituindo-se em um reservat√≥rio de √°guas subterr√Ęneas (aq√ľ√≠feros), suscet√≠veis de extra√ß√£o e utiliza√ß√£o. A zona saturada pode ser considerada como sendo um √ļnico reservat√≥rio, ou um sistema de reservat√≥rios naturais, cuja capacidade e volume total dos poros, ou interst√≠cios, est√£o repletos de √°gua.
Alcalinidade da √Āgua¬†- Qualidade da √°gua em neutralizar compostos √°cidos, em virtude da presen√ßa de bicarbonatos, hidr√≥xidos, boratos, silicatos e fosfatos. Esgotos s√£o alcalinos, por receberem materiais de uso dom√©stico com estas caracter√≠sticas.
Alimenta√ß√£o de um Aq√ľ√≠fero¬†- Processo pelo qual a zona saturada de um aq√ľ√≠fero recebe √°gua diretamente do exterior, ou, indiretamente, atrav√©s de outra forma√ß√£o.
Altura de √Āgua Doce¬†- N√≠vel da √°gua em determinado ponto de um aq√ľ√≠fero, que seria medida por um piez√īmetro ligado √†quele ponto, se contivesse apenas em √°gua doce.
Altura de Precipita√ß√£o¬†- √Č a quantidade de √°gua l√≠quida procedente da atmosfera, expressa em altura de √°gua sobre uma superf√≠cie horizontal.
Aluvi√£o¬†- √Č a litologia depositada por rio na plan√≠cie de inunda√ß√£o. Sin√īnimo: dep√≥sito aluvial. Pode ser argila, silte, areia, cascalho ou outro material detr√≠tico depositado pela √°gua.
√Ālveo¬†- Superf√≠cie que as √°guas cobrem sem extravasar para as margens ou terreno natural, ordinariamente, enxuto.
Amostra de √Āgua Composta¬†- Combina√ß√£o, em propor√ß√Ķes adequadas, de v√°rias amostras para obter o valor m√©dio de uma caracter√≠stica pretendida, podendo ser colhidas, de forma discreta ou cont√≠nua, calculada, normalmente, em fun√ß√£o do tempo ou do caudal.
Aq√ľ√≠cludo (aquiclude)¬†- √Č aquela forma√ß√£o geol√≥gica que pode armazenar √°gua mas n√£o a transmite (a √°gua n√£o circula). Exemplo: argila. A √°gua est√° contida no meio por for√ßas moleculares.
Aq√ľ√≠fero¬†- Forma√ß√£o porosa (camada ou estrato) de rocha perme√°vel, areia ou cascalho, capaz de armazenar e fornecer quantidades significativas de √°gua.
Aq√ľ√≠fero Transnacional ou Transfronteiri√ßo¬†- √Č aquele compartilhado por dois ou mais pa√≠ses (ou munic√≠pios) e t√™m chamado a aten√ß√£o pela sua import√Ęncia, uma vez que encontra-se sob diferentes condi√ß√Ķes socioecon√īmicas e legais.
Aq√ľ√≠fugo¬†- √Č aquela forma√ß√£o geol√≥gica imperme√°vel que n√£o armazena nem transmite √°gua. Exemplo: rochas cristalinas.
Aq√ľ√≠tardo¬†- Forma√ß√£o geol√≥gica de natureza algo imperme√°vel e semiconfinada que transmite √°gua em propor√ß√Ķes muito pequenas por compara√ß√£o com um aq√ľ√≠fero.
√Ārea Ativa da Bacia¬†- √Ārea da bacia excluindo zonas n√£o drenadas.
√Ārea Confinada¬†- Situa√ß√£o em que o aq√ľ√≠fero encontra-se entre duas unidades litol√≥gicas imperme√°veis e sob uma press√£o maior do que a press√£o atmosf√©rica.
√Ārea Contaminada¬†- √Ārea onde h√° comprovadamente polui√ß√£o causada por quaisquer subst√Ęncias ou res√≠duos que nela tenham sido depositados, acumulados, armazenados, enterrados ou infiltrados, e que determina impactos negativos sobre os bens a proteger.
√Ārea de Drenagem¬†- Refere-se a uma bacia hidrogr√°fica onde √© a √°rea plana (proje√ß√£o horizontal) inclusa entre seus divisores topogr√°ficos. Usualmente √© expressa em km¬≤ ou em hectares.
√Ārea de Influ√™ncia¬†- √Ārea que rodeia um furo de bombagem ou de recarga, no qual o n√≠vel fre√°tico (em aq√ľ√≠feros livres) ou a superf√≠cie piezom√©trica (em aq√ľ√≠feros confinados) aumenta ou diminui significativamente.
√Ārea de Prote√ß√£o Ambiental (APA)¬†- √Č uma categoria de unidade de conserva√ß√£o cujo objetivo √© conservar a diversidade de ambientes, de esp√©cies, de processos naturais e de patrim√īnio natural, visando a melhoria da qualidade de vida, atrav√©s da manuten√ß√£o das atividades s√≥cio-econ√īmicas da regi√£o. Esta proposta deve envolver, necessariamente, um trabalho de gest√£o integrada, com participa√ß√£o do Poder P√ļblico e dos diversos setores da comunidade p√ļblica ou privada. √Č determinada por decreto federal, estadual ou municipal, para que nela sejam discriminadas o uso do solo e evitada a degrada√ß√£o dos ecossistemas, sob interfer√™ncia humana.
Arenito¬†- Rocha sedimentar cl√°stica cujas part√≠culas s√£o dominantemente do tamanho de areia (0,062 a 2mm de di√Ęmetro).
Artesiano¬†- Express√£o originada de Artois (leia-se "artoi"), cidade no norte da Fran√ßa, famosa por seus aq√ľ√≠feros confinados. A√≠ foram perfurados e investigados os primeiros po√ßos profundos para atingir aq√ľ√≠feros confinados, datando de1750. Originariamente, o termo referia-se aum po√ßo com √°gua de escoamento livre, mas atualmente se aplica a qualquer po√ßo que penetre um aq√ľ√≠fero confinado, ou simplesmente ao pr√≥prio aq√ľ√≠fero (Todd, 1959). Em muitos casos a press√£o da √°gua nestas camadas confinadas √© tal que quando se perfura um po√ßo a √°gua √© empurrada al√©m da superf√≠cie, dando origem a po√ßos jorrantes.
Aspersão - Sistema de rega no qual a água é distribuída sob a forma de chuva.
Aterro Controlado - Aterro para o lixo residual urbano, onde os resíduos são depositados recebendo depois uma camada de terra por cima. Na impossibilidade de se proceder à reciclagem do lixo, pela compostagem acelerada ou pela compostagem a céu aberto, as normas sanitárias e ambientais recomendam a adoção de aterro sanitário ao invés de controlado.
Aterro Sanit√°rio¬†- Aterro para lixo residual urbano, com pr√©-requisitos de ordem sanit√°ria e ambiental. Deve ser constru√≠do de acordo com t√©cnicas definidas, como: impermeabiliza√ß√£o do solo pra que o chorume n√£o atinja os len√ß√≥is fre√°ticos, contaminando as √°guas; sistema de drenagem para chorume, que deve ser retirado do aterro sanit√°rio e depositado emlagoa pr√≥xima, que tenha essa finalidade espec√≠fica, vedada ao p√ļblico; sistema de drenagem de tubos para os gases, principalmente os gases carb√īnico, metano e o sulf√≠drico, pois, se isso n√£o for feito, o terreno fica sujeito a explos√Ķes e deslizamentos.
Autodepura√ß√£o da √Āgua¬†- Pocesso natural de purifica√ß√£o da √°gua, que reduz a polui√ß√£o org√Ęnica. Por exemplo, h√° esp√©cies de plantas aqu√°ticas que absorvem os poluentes.
Avaliação de Recursos Hídricos - Determinação das nascentes, extensão, fiabilidade e qualidade dos recursos hídricos, com vista à sua utilização controle.
Bacia de Captação - Mais do que o rio, lago ou reservatório de onde se retira a água para consumo. Compreende também toda a região onde ocorre o escoamento e a captação dessa águas na natureza. (fonte: rede AIPA).
Bacia Geol√≥gica¬†- Qualquer regi√£o da Terra abaixo de um n√≠vel base de eros√£o e que recebe ou recebeu sedimentos ou material vulc√Ęnico em epis√≥dios de colmatagem intercalados com epis√≥dios de n√£o-deposi√ß√£o e de eros√£o, resultando em um pacote de rochas sedimentares / vulcanossedimentares, com superf√≠cies de discord√Ęncia, que registram processos geol√≥gicos e geotect√īnicos associados com a evolu√ß√£o dessa regi√£o.
Bacia Hidrogeol√≥gica¬†- √Č aquela regi√£o geogr√°fica em que as √°guas subterr√Ęneas escoam a um s√≥ exut√≥rio. Pode n√£o coincidir com bacia hidrogr√°fica.
Bacia Hidrogr√°fica¬†- Conjunto de terras drenadas por um rio principal e seus fluentes. A no√ß√£o de bacias hidrogr√°ficas inclui naturalmente a exist√™ncia de cabeceiras, ou nascentes, divisores de √°guas, cursos de √°guas, principais afluentes e subafluentes, etc. em todas as bacias hidrogr√°ficas deve existir uma hierarquiza√ß√£o na rede h√≠drica e a √°gua se escoa normalmente, dos pontos mais altos para os pontos mais baixos. O conceito de bacia hidrogr√°fica deve incluir tamb√©m no√ß√£o de dinamismo, por causa das modifica√ß√Ķes que ocorrem nas linhas divis√≥rias de √°gua sob o efeito dos agentes erosivos, alargando ou diminuindo a √°rea da bacia.
Banhado - Setor de uma planície de inundação em que habitualmente acontece o transbordamento de águas pluviais e fluviais, durante a estação chuvosa; várzea, vazante.
Barra - Banco de sedimentos, por exemplo areia ou cascalho, depositado no leito do rio ou na foz, que limita o fluxo ou a navegação.
Barragem¬†- Constru√ß√£o para regular o curso de rios, usada para prevenir enchentes, aproveitar a for√ßa das √°guas como fonte de energia ou para fins tur√≠sticos. Sua constru√ß√£o pode trazer problemas ambientais, como no caso de grandes hidrel√©tricas, por submergir terras f√©rteis, muitas vezes cobertas por importantes florestas, por desalojar popula√ß√Ķes que vivem na √°rea.
Biomassa - Massa total de organismos vivos de uma determinada massa de água.
Biota - Conjunto de fauna e flora, de água ou de terra, de qualquer área ou região, que não considera os elementos do meio ambiente.
Cabeceira - Local onde nasce o rio, ou curso d’água. Nem sempre é um ponto bem definido, constituindo às vezes toda uma área. Isso se nota, por exemplo, na dificuldade em determinar onde nasce o rio principal, como é o caso da definição das cabeceiras do Rio Amazonas.
Cacimba - O mesmo que poço escavado.
Calha - Vales ou sulcos por onde correm as águas de um rio.
Camada Impermeável - Camada que não permite a passagem da água.
Canal - Curso de água natural ou artificial, claramente diferenciado, que, permanentemente ou periodicamente, contém água em movimento ou que forma uma ligação entre duas linhas de água.
Capacidade de Infiltra√ß√£o¬†- Velocidade m√°xima a que a √°gua pode ser absorvida por um solo em determinadas condi√ß√Ķes, por unidade de superf√≠cie.
Capacidade Hidráulica - Característica física de um canal superficial, que tem em conta a superfície da seção transversal e sua rugosidade, e que multiplicada pela raiz quadrada do declive, corresponde ao caudal no canal.
Capacidade Máxima do Rio - Caudal que pode passar num curso de água sem transpor as margens.
Capilaridade¬†- Fen√īmeno associado √† tens√£o superficial de um l√≠quido, particularmente em tubos capilares e meios porosos, onde existem as interfaces g√°s, l√≠quido e s√≥lido.
Carga Poluidora - Quando se fala de recursos hídricos, é a quantidade de poluentes que atingem os corpos d’água, prejudicando seu uso. Medida em DBO e DBQ.
Cascata - Pequena queda de água natural ou artificial.
Catarata - Grande queda de água.
Caudal - Volume de água numa seção transversal de um rio ou de um canal, por unidade de tempo.
Caudal Econ√īmico de Extra√ß√£o (de um aq√ľ√≠fero)¬†- Valor m√°ximo do caudal que se pode extrair artificialmente de um aq√ľ√≠fero, em m√©dio prazo, sem diminuir continuamente o seu n√≠vel, esgotar as reservas ou alterar a natureza qu√≠mica da √°gua; ponto a partir do qual o valor de extra√ß√£o n√£o √© economicamente vi√°vel.
Charco - Acumulação de água resultante da fusão do gelo, devido principalmente à neve fundida e, em fases mais avançadas, devido também à fusão do gelo. A fase inicial consiste em flocos de neve derretida.
Cheia - Pequena cheia causada por precipitação intensa ou degelo.
Cheia Anual - Caudal que é igualado ou exercido em média uma vez por ano.
Cheia Catastr√≥fica¬†- √Č √†quela devido a condi√ß√Ķes meteorol√≥gicas excepcionais.
Chuva¬†- Precipita√ß√£o de part√≠culas de √°gua l√≠quida,quer sob a forma de gotas com mais de 0.5 mm de di√Ęmetro, quer sob a forma de gotas menores e dispersas.
Ciclo de Nível Freático - Período durante o qual é observado um aumento seguido de uma diminuição do nível freático ou da superfície piezométrica.
Ciclo Hidrol√≥gico¬†- √Č o comportamento natural da √°gua quanto √†s suas ocorr√™ncias, transforma√ß√Ķes e rela√ß√Ķes com a vida humana. Inicia com a evapora√ß√£o da √°gua dos oceanos. O vapor resultante √© transportado pelo movimento das massas de ar, sob determinadas condi√ß√Ķes, o vapor √© condensado, formando as nuvens que por sua vez podem resultar em precipita√ß√£o (chuva, neve, etc.). A precipita√ß√£o que ocorre sobre a terra √© dispersa de v√°rias formas, ficando a maior parte temporariamente retida no solo pr√≥ximo de onde caiu e, finalmente, retorna √† atmosfera por evapora√ß√£o e transpira√ß√£o das plantas. Parte da √°gua restante escoa sobre a superf√≠cie do solo, ou atrav√©s do solo para os rios, enquanto que a outra parte, penetra no solo, e supre o len√ßol d‚Äô√°gua subterr√Ęneo.
Ciclone Tropical¬†- Ciclone de origem tropical de pequeno di√Ęmetro (algumas centenas de quil√īmetros), com uma press√£o de superf√≠cie m√≠nima, em alguns casos inferior a 900 hPa, ventos muito violentos e chuvas torrenciais, por vezes, acompanhados de trovoadas.
Clasto - Termo que significa fragmento. Assim, rochas detr√≠ticas sedimentares como conglomerados e arenitos s√£o rochas cl√°sticas; as texturas de rochas fragment√°rias por metamorfismo din√Ęmico s√£o catacl√°sticas e dentre estas tem-se a textura porfirocl√°stica; os fragmentos vulc√Ęnicos retrabalhados s√£o epicl√°sticos.
Clima¬†- Conjunto de condi√ß√Ķes meteorol√≥gicas predominantes em determinada regi√Ķes que se caracteriza por estat√≠sticas em longo prazo dos elementos meteorol√≥gicos nessa regi√£o (valores m√©dios, probabilidades de ocorr√™ncia de valores extremos, etc.), influenciado pela latitude, altitude, etc.
C√≥digo das √Āguas¬†- Conjunto de legisla√ß√£o fundamentada em Decreto Federal de 10 de julho de 1934, para todo o territ√≥rio nacional.
Coeficiente de Escoamento - Relação entre o escoamento (expresso em coluna de água) e a precipitação expressa pela altura da água.
Comit√™ da Bacia Hidrogr√°fica¬†- √Č um √≥rg√£o colegiado com atribui√ß√Ķes normativas, consultivas e deliberativas e o foro principal para o conhecimento, debate de problemas, planejamento e a tomada de decis√£o sobre os usos m√ļltiplos dos recursos h√≠dricos no √Ęmbito da bacia hidrogr√°fica de sua jurisdi√ß√£o.
Condensação - Passagem da fase de vapor para a fase líquida.
Condutividade Hidráulica - Propriedade de um meio poroso combinada à do fluído escoando-se nesse meio saturado e que determina a relação, chamada Lei de Darcy, entre a descarga específica e o gradiente hidráulico que a origina.
Conduto Aberto - Qualquer conduto no qual o escoamento da água se processa com superfície livre (em contato com o ar).
Confluência - União ou ponto de união de dois ou mais cursos de água.
Consumo¬†- √Āgua extra√≠da de um reservat√≥rio artificial.
Consumo de √Āgua¬†- Quantidade de √°gua, superficial ou subterr√Ęnea, absorvida, transpirada ou utilizada pelas plantas durante a forma√ß√£o do seu tecido vegetal, assim como pela evapora√ß√£o do solo cultivado, expressa em unidades de volume por unidade de superf√≠cie. Inclui tamb√©m todas as afetividades que implicam uma diminui√ß√£o dos recursos h√≠dricos dispon√≠veis, por exemplo os consumos urbanos e industriais.
Contamina√ß√£o¬†- Termo geral que significa a introdu√ß√£o na √°gua de qualquer subst√Ęncia indesej√°vel n√£o presente nela normalmente, como por exemplo, microorganismos, produtos qu√≠micos, detritos ou esgoto, que tornam a √°gua impr√≥pria para a sua utilidade prevista ou uso pretendido.
Controle Hidráulico - Propriedades físicas de um canal que determinam a relação entre a altura e o caudal em determinado ponto.
Corpo D‚Äô√°gua¬†- Denomina√ß√£o gen√©rica para qualquer manancial h√≠drico; curso d‚Äô√°gua, trecho de rio, reservat√≥rio artificial ou natural, lago, lagoa ou aq√ľ√≠fero subterr√Ęneo.
Córrego - Pequeno riacho, ou afluente de um rio maior.
Crista - Parte superior de uma barragem, dique ou descarregador acima do qual a água deve elevar-se antes de passar sobre a estrutura.
Curso de √Āgua¬†- Canal natural ou artificial atrav√©s do qual a √°gua pode fluir.
Curso D’água - Denominação para fluxos de água em canal natural para drenagem de uma bacia, tais como: boqueirão, rio, riacho, ribeirão ou córrego.
Curso Superior - Parte de um curso de água situado na zona superior da bacia de drenagem.
Curva de Armazenamento - Curva que representa o volume de água armazenado em função do nível ou do tempo.
Data√ß√£o das √Āguas Subterr√Ęneas¬†- Determina√ß√£o do tempo decorrido entre a alimenta√ß√£o da forma√ß√£o aq√ľ√≠fera e a recolha de amostras de √°gua.
Declive da Superf√≠cie da √Āgua¬†- Inclina√ß√£o da superf√≠cie da √°gua expressa como a diferen√ßa de cota entre dois pontos dividida pela dist√Ęncia entre eles.
Defl√ļvio¬†- Escoamento superficial da √°gua. Aproximadamente um sexto da precipita√ß√£o numa determinada √°rea escoa como defl√ļvio. O restante evapora ou penetra no solo. Os defl√ļvios agr√≠colas, das estradas e de outras atividades humanas podem ser uma importante fonte de polui√ß√£o da √°gua.
Degradação Hidrográfica - Degeneração de uma rede hidrográfica nas áreas planas de uma bacia, tanto mais marcada quanto mais árido é o clima.
Delta - Depósito aluvial na foz de um rio; entidade geográfica e geomorfológica daí resultante.
Demanda Bioqu√≠mica de Oxig√™nio (DBO)¬†- A DBO de uma amostra de √°gua √© a quantidade de oxig√™nio necess√°ria para oxidar a mat√©ria org√Ęnica por decomposi√ß√£o microbiana aer√≥bia para uma forma inorg√Ęnica est√°vel. A DBO √© normalmente considerada como a quantidade de oxig√™nio consumido durante um determinado per√≠odo de tempo, numa temperatura de incuba√ß√£o espec√≠fica. A presen√ßa de alto teor de mat√©ria org√Ęnica que pode induzir √† completa extin√ß√£o do oxig√™nio na √°gua, provocando o desaparecimento de peixes e outras formas de vida aqu√°tica. Um elevado valor da DBO pode indicar um incremento da microflora presente e interferir no equil√≠brio da vida aqu√°tica, al√©m de produzir sabores e odores desagrad√°veis e ainda, pode obstruir os filtros de areia utilizados nas esta√ß√Ķes de tratamento de √°gua.
Demanda de √Āgua¬†- Quantidade de √°gua necess√°ria para o abastecimento, baseada em elementos de tempo e de quantidade, e relacionada com um ponto espec√≠fico ao longo do sistema. Requisi√ß√£o ou ordem das necessidades totais ou quantidades especificadas de √°gua, em qualquer lugar.
Deriva√ß√£o de √Āgua¬†- √Č toda a retirada de √°gua, proveniente de qualquer corpo h√≠drico, ou seja, √© toda √°gua desviada do seu curso natural destinada a um uso como o abastecimento dom√©stico, irriga√ß√£o, industrial, etc.
Descarga¬†- √Č o conjunto de sa√≠das de √°gua de um rio ou de um aq√ľ√≠fero, num intervalo de tempo. Pode-se dizer tamb√©m que √© o fluxo de √°gua subterr√Ęnea. Nos locais onde este fluxo atinge a superf√≠cie do terreno formam-se as fontes, nascentes ou brejos. Sin√īnimo: vaz√£o.
Descida do N√≠vel da √Āgua¬†- Diminui√ß√£o local do n√≠vel da √°gua num canal de aproxima√ß√£o devido √† acelera√ß√£o do escoamento que passa sobre um obst√°culo ou atrav√©s de uma sec√ß√£o de controle.
Desenvolvimento Sustent√°vel¬†- Termo caracterizado como: ‚Äúdesenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gera√ß√Ķes de satisfazer as suas pr√≥prias necessidades‚ÄĚ.
Desfiladeiro - Vale encaixado, de vertentes abruptas, onde geralmente corre um curso de água.
Despejos Domésticos - Despejos decorrentes do uso de água para fins higiênicos.
Desperd√≠cio¬†- √Č o desconhecimento ou a falta de orienta√ß√£o das pessoas em suas casas quanto √† quantidade de √°gua perdida pelo mau uso dos seus aparelhos e equipamentos hidr√°ulicos, bem como vazamentos nas instala√ß√Ķes, tais como: deixar a torneira aberta enquanto escova os dentes ou faz a barba; enquanto se usa o sabonete, no banho; enquanto se ensaboa a lou√ßa, ao lav√°-la; lavar carro ou cal√ßadas com mangueira; aguar o jardim quando o sol j√° est√° alto; torneiras pingando ou vasos sanit√°rios vazando, etc.
Dessaliniza√ß√£o¬†- Processo de transforma√ß√£o a partir do qual o conte√ļdo de sal da √°gua √© reduzido suficientemente para a sua utiliza√ß√£o para o consumo humano e animal, usos industriais e outros.
Desvios - Derivação das camadas superficiais de um curso de água ou de um canal, mediante a utilização de um descarregador superficial.
Difusidade de um Aq√ľ√≠fero¬†- Coeficiente de transmissibilidade de um aq√ľ√≠fero dividido pelo seu coeficiente de armazenamento.
Dique - Origina-se da consolidação de magma que penetrou em terreno com rochas mais antigas, de forma a interceptar suas estruturas. Normalmente são corpos verticais, chegando a centenas de metros de comprimento e algumas dezenas de metros de espessura. Exemplo: diques diabásicos.
Dique Natural - Pequeno banco aluvial, contíguo ao canal de um curso de água, composto por sedimentos depositados por eventos de cheia que transbordaram as margens do canal.
Direito de Uso de Recursos Hídricos - Direito que a lei assegura aos titulares de outorga de serem satisfeitos o aproveitamento da água conforme seu destino.
Divisor de √Āguas¬†- Linha que separa a dire√ß√£o para onde correm as √°guas pluviais, ou bacias de drenagem. Um exemplo de divisor de √°gua √© a montante.
Doen√ßas de Veicula√ß√£o H√≠drica¬†- S√£o as doen√ßas causadas por subst√Ęncias que n√£o fazem parte da composi√ß√£o da √°gua, encontrando-se a√≠, acidentalmente, como por exemplo, a contamina√ß√£o por chumbo, cianetos, merc√ļrios,defensivos agr√≠colas, etc., ou ent√£o pelos micr√≥bios patog√™nicos como os v√≠rus, bact√©rias, protozo√°rios, fungos e helmintos, que s√£o alheios √† fauna e flora naturais da √°gua e que causam s√©rias doen√ßas.
Dolomito - Rocha constituída essencialmente dedolomita (carbonato de sódio e magnésio).
Drenagem do Solo - Movimento de água livre contida no solo que se escoa pelo efeito da gravidade.
Dureza da √Āgua¬†- Propriedade da √°gua originada principalmente pela presen√ßa de bicarbonatos, cloretos e sulfatos de c√°lcio e magn√©sio, limitando a forma√ß√£o de espuma por a√ß√£o dos sab√Ķes.
Ecosonda¬†- Equipamento que utiliza a reflex√£o de um sinal ac√ļstico do fundo para determinar a profundidade da √°gua.
Educa√ß√£o Ambiental¬†- Entende-se por educa√ß√£o ambiental os processos por meio dos quais o indiv√≠duo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e compet√™ncias voltadas para a conserva√ß√£o do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial a qualidade de vida e sua sustentabilidade. Para uma sustentabilidade eq√ľitativa, a educa√ß√£o ambiental √© um processo de aprendizagem permanente, baseado no respeito a todas as formas de vida.
Efeito de Sifão - Fluxo ascendente de água que se produz numa formação arenosa devido a um desequilíbrio da pressão hidrostática que resulta na subida do nível de um curso de água próximo ou da diminuição da sobrecarga através de trabalhos de escavação.
Efluentes¬†- √Āgua residual que flui de um reservat√≥rio ou de uma esta√ß√£o de tratamento para a deriva√ß√£o de um curso de √°gua principal ou de um reservat√≥rio.
Erosão - Retirada e transporte do solo e da superfície do terreno pela ação da água; vento e gelo. O material transportado recebe o nome de sedimento e vai dar origem às rochas sedimentares.
Erosão Fluvial - Ação erosiva - em particular, erosão localizada e intensa - da água num curso de água, por escavação e remoção de materiais do leito e das margens.
Escassez de √Āgua¬†- √Č o resultado do consumo cada vez maior da √°gua, do seu mau uso, do desmatamento, da polui√ß√£o e do desperd√≠cio.
Escoamento¬†- √Č o modo como flui uma corrente de √°gua (sua vaz√£o, sua velocidade, etc.
Escoamento Subsuperficial¬†- Parte da precipita√ß√£o que n√£o atingiu o reservat√≥rio subterr√Ęneo, mas que tem um percurso no solo para atingir o curso de √°gua, conhecido tamb√©m como um fluxo de √°gua proveniente de zonas de satura√ß√£o tempor√°rias, que circula nos extratos superiores a uma velocidade superior √† velocidade do escoamento subterr√Ęneo.
Escoamento Subterr√Ęneo¬†- Qualquer escoamento que ocorre abaixo da superf√≠cie do solo e que pode contribuir para o escoamento em profundidade, escoamento de base ou percola√ß√£o profunda.
Escoamento Superficial¬†- √Č aquele realizado atrav√©s dos canais da drenagem de superf√≠cie.
Escoamento Uniforme - Escoamento onde o vetor velocidade é constante ao longo de cada uma das linhas de corrente.
Escoamento Variável - Escoamento em cursos de água com seção transversal e/ou declive do leito variáveis.
Escorr√™ncia Espec√≠fica¬†- Fluxo m√©dio do escoamento subterr√Ęneo por unidade de superf√≠cie de um aq√ľ√≠fero ou de uma bacia hidrogeol√≥gica.
Escorrimento Superficial¬†- √Č aquele escoamento disperso de √°gua que se d√° sobre a superf√≠cie topogr√°fica.
Esgoto Dom√©stico¬†- √Č aquele que prov√©m principalmente de resid√™ncias, estabelecimentos comerciais, institui√ß√Ķes ou quaisquer edifica√ß√Ķes que disp√Ķe de instala√ß√Ķes de banheiros, lavanderias e cozinhas. Comp√Ķe-se essencialmente de √°gua de banho, excretas (fezes humanas e urina), papel higi√™nico, restos de comida, sab√£o, detergentes e √°guas de lavagem.
Espelho D‚Äô√°gua¬†- √Č a superf√≠cie cont√≠nua de √°guas, exposta √† atmosfera e vis√≠veis de uma determinada altitude, relacionada com lagos, lagoas, rios e reservat√≥rios de barragens e a√ßudes.
Esta√ß√£o Pluviom√©trica¬†- Esta√ß√£o onde se realizam apenas medi√ß√Ķes da precipita√ß√£o observada.
Estuário - Parte de um curso de água, geralmente ampla, que fica próxima da desembocadura.
Evapora√ß√£o¬†- √Č a emiss√£o de vapor de √°gua de uma superf√≠cie livre, a uma temperatura inferior √† do ponto de ebuli√ß√£o.
Excedente de √Āgua¬†- Diferen√ßa (positiva) entre os valores totais da precipita√ß√£o e da evapotranspira√ß√£o potencial durante um per√≠odo de tempo, tamb√©m conhecida como quantidade de √°gua que excede a procura e que pode permanecer armazenada num reservat√≥rio ou sistema de abastecimento.
Explota√ß√£o de √Āgua Subterr√Ęnea¬†- Consiste na sua extra√ß√£o para disp√ī-la ao uso.
Extra√ß√£o de √Āgua¬†- Extra√ß√£o de √°gua de reservat√≥rios superficiais ou subterr√Ęneos.
Falha - Ruptura da crosta terrestre ou de um corpo rochoso onde há deslocamentos dos blocos.
Feldspato - O mais comum dos minerais na crosta terrestre. Trata-se de um silicato de alumínio, potássio, sódio ou cálcio, facilmente decomposto pelo intemperismo químico, transformando-se em argila.
Filtra√ß√£o¬†- Processo no qual se faz passar um l√≠quido atrav√©s de um meio filtrante, com o fim de eliminar as mat√©rias em suspens√£o ou as subst√Ęncias coloidais.
Fissura¬†- √Č uma fratura extensa.
Flora√ß√£o das √Āguas¬†- Fen√īmeno em que um grande n√ļmero de algas, num corpo d‚Äô√°gua, interfere em outras formas de vida, devido, principalmente, ao consumo do O2 dissolvido na √°gua. Esse fen√īmeno pode ser causado pela eutrofiza√ß√£o.
Flotação - Processo de elevação de partículas existentes na água, por meio da aeração, insuflação, produtos químicos, eletrólise, calor ou decomposição bacteriana, e respectiva remoção.
Fluido¬†- √Č uma subst√Ęncia capaz de fluir sob qualquer intensidade de tens√£o cisalhante; s√£o gases e l√≠quidos. √Č uma subst√Ęncia cujas part√≠culas est√£o desordenadas e em movimento mas formam um corpo sem separa√ß√£o de massa.
Fluxo de √Āgua Subterr√Ęnea¬†- Massa de √°gua que se escoa numa conduta aberta ou fechada, ou, um jato de √°gua que emana de um orif√≠cio, ou ainda, uma massa de √°gua subterr√Ęnea em movimento.
Fluxo de Base¬†- √Č o fluxo que os rios mant√™m durante os per√≠odos de recesso inter-chuvas, proveniente das descargas dos aq√ľ√≠feros, principalmente.
Fonte - Lugar onde brotam ou nascem águas. A fonte é um manancial de água, que resulta da infiltração das águas nas camadas permeáveis, havendo diversos tipos como: artesianas, termais, etc.
Formação de uma Lagoa - Formação natural de uma lagoa, com água estagnada, num curso de água.
Fossa S√©ptica¬†- Refere-se √† fossa subterr√Ęnea projetada para receber, manter e decompor os conte√ļdos de √°gua residual dom√©stica.
Foz - ponto mais baixo no limite de um sistema de drenagem (desembocadura). Extremidade onde o rio descarrega suas águas no mar.
Fratura - Espaço vazio de uma formação geológica, ou seja, ruptura da crosta terrestre ou de corpos rochosos sem que haja deslocamento dos blocos resultantes.
Freq√ľ√™ncia de Cheia ou Probabilidade de Cheia¬†- N√ļmero de vezes, em determinado n√ļmero de anos, no qual se pode produzir uma cheia cujo caudal ou altura supera um dado n√≠vel.
Fundo - Parte inferior da seção transversal de um canal ou de outra estrutura hidráulica.
Galeria - Conduta fechada que permite a drenagem de água sob uma estrada, via férrea ou outra estrutura.
Geada¬†- Dep√≥sito de gelo composto por gr√Ęnulos mais ou menos separados por bolsas de ar e constitu√≠do, por vezes, por ramifica√ß√Ķes cristalinas.
Gelo¬†- √Āgua em estado s√≥lido.
GEMS / √Āgua¬†- Projeto do Programa das Na√ß√Ķes Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) que diz respeito ao controle mundial da qualidade da √°gua.
Geotermalismo¬†- √Č o calor interno do globo terrestre. Manifesta-se nas regi√Ķes de contato entre as placas tect√īnicase onde existem atividades vulc√Ęnicas e tamb√©m, embora em menor escala, em bacias sedimentares que possuem rochas perme√°veis em grande profundidade e que encontram-se sotopostas por uma cobertura imperme√°vel que impede a perda de calor por convec√ß√£o de fluidos para a superf√≠cie. O calor em reservat√≥rios geot√©rmicos √© armazenado, originalmente, nas rochas e n√£o nos fluidos geol√≥gicos (vapor e √°gua quente com subst√Ęncias minerais).
Gestão de Bacias Hidrográficas - Utilização controlada de bacias hidrográficas de acorda com objetivos definidos previamente.
Gestão Participativa - Constitui-se num método que enseja aos usuários, à sociedade civil organizada, às ONG’s e outros agentes interessados a possibilidade de influenciar no processo da tomada de decisão, de participar democraticamente, de defender seus pontos de vista sobre investimentos e outras formas de intervenção na bacia hidrográfica e na administração dos recursos hídricos locais.
Geyser¬†- Fonte de √°guas termais em regi√Ķes vulc√Ęnicas que se caracteriza por ejetar vapor de √°gua √†s vezes em intervalos de tempo precisamente iguais como os do Geyser Old Faithful nos EUA.
Glaciar - Do gelo ou das geleiras.
Gnaisse¬†- Rocha metam√≥rfica essencialmente quartzo-feldsp√°tica, granula√ß√£o freq√ľentemente m√©dia a grossa; a estrutura √© muito vari√°vel desde maci√ßa, granit√≥ide, com folia√ß√£o dada pelo achatamento dos gr√£os at√© bandada, com bandas, geralmente milim√©tricas a centim√©tricas, quartzo-feldsp√°tica alternadas com bandas mais m√°ficas, derivada de processos de segrega√ß√£o metam√≥rfica que culminam em rochas migmat√≠ticas.
Gondwana¬†- Antigo continente, existente at√© o fim da era Paleoz√≥ica, quando Am√©rica do Sul, √Āfrica, √ćndia, Austr√°lia e Ant√°rtica estavam unidas (Terra dos Gonds, povo da √ćndia).
Gradiente Geot√©rmico (grau geot√©rmico)¬†- Profundidade, em metros, necess√°ria para que a temperatura aumente um (1) grau Celsius. O aumento da temperatura do interior da terra por unidade de profundidade √© de aproximadamente 3,3¬ļC por 100m. No Brasil o gradiente geot√©rmico m√©dio √© de 1¬ļC/30m.
Granizo¬†- Precipita√ß√£o de gl√≥bulos ou part√≠culas de gelo (granizo), com di√Ęmetro entre 5 e 50mm, por vezes maior, que caem isolados ou aglomerados em fragmentos maiores e irregulares.
Hidr√°ulica¬†- Ramo da mec√Ęnica dos fluidos que estuda o fluxo da √°gua (ou de outros l√≠quidos) em condutas e canais abertos.
Hidrologia¬†- √Č a ci√™ncia que estuda das √°guas superficiais e subterr√Ęneas da terra, sua forma√ß√£o,circula√ß√£o e distribui√ß√£o, no tempo e espa√ßo, suas propriedades biol√≥gicas, f√≠sicas e qu√≠micas e intera√ß√Ķes com o ambiente e com os seres vivos.
Hidrometria - Ciência que se ocupa da medição e análise da água,compreendendo os métodos, técnicas e instrumentação utilizados em hidrologia.
Hidr√īmetro¬†- √Č o aparelho destinado a medir e indicar o volume de √°gua que o atravessa, ou seja, o consumo de √°gua, popularmente conhecido como contador de √°gua em liga√ß√Ķes domiciliares ou prediais.
Hidrosfera - À parte da terra coberta de água e de gelo.
Higr√īmetro¬†- Sonda utilizada para medir a umidade do solo.
Impacto Ambiental¬†- √Č qualquer altera√ß√£o, provocada ou induzida pelo homem, das propriedades f√≠sicas, qu√≠micas e biol√≥gicas do meio ambiente, que, diretamente ou indiretamente, afetam: a sa√ļde, a seguran√ßa, e o bem-estar da popula√ß√£o; as atividades sociais e econ√īmicas; a biota; as condi√ß√Ķes est√©ticas e sanit√°rias do meio ambiente; e a qualidade dos recursos ambientais.
√ćndice de Seca¬†- Valor que quantifica um d√©ficit de √°gua prolongado e generalizado. Em hidrologia um √≠ndice de seca considera n√≠veis em rios, lagos, albufeiras e/ou reservat√≥rios subterr√Ęneos por compara√ß√£o com valores de refer√™ncia. Um √≠ndice de seca agr√≠cola refere-se a efeitos de um d√©ficit excepcional de evapotranspira√ß√£o.
Infiltração - Movimento da água da superfície para um meio poroso.
Infiltra√ß√£o ou Percola√ß√£o Profunda¬†- √Āgua que se infiltra em profundidade, abaixo da zona radicular, com possibilidade de alcan√ßar o n√≠vel fre√°tico.
Intemperismo¬†- Conjunto de fen√īmenos qu√≠micos, f√≠sicos e biol√≥gicos que provocam a altera√ß√£o das rochas, ou grupo de processo pelo qual as litologias expostas ao clima transformam-se e acabam gerando o solo; assim, geram √≠ons adicionados √†s √°guas percolantes.
Interface¬†- √Č a regi√£o de mistura entre duas fases; √© representada por uma superf√≠cie idealizada.
Interfer√™ncia nos Recursos H√≠dricos¬†- Toda e qualquer atividade, obra ou empreendimento que altere as condi√ß√Ķes de escoamento das √°guas, criando obst√°culo, produzindo modifica√ß√Ķes ou perturbando o fluxo dessas √°guas.
Inunda√ß√£o¬†- √Č o fen√īmeno em que o volume de √°gua de uma enchente (em geral, por excesso de chuvas) transborda do canal natural do rio. Podem ter duas causas: o excesso de chuvas, de tal forma que o canal do rio n√£o suporta a vaz√£o da enchente ou existe, a jusante da √°rea inundada, qualquer obstru√ß√£o que impede a passagem da vaz√£o de enchente, como por exemplo, um bueiro mal dimensionado ou entupido.
Irrigação - Basicamente, é uma operação agrícola que tem como objetivo suprir artificialmente a necessidade de água da planta.
Isoalina¬†- Linha (ou superf√≠cie) que une os pontos de igual salinidade das √°guas subterr√Ęneas ou das √°guas superf√≠cies.
Is√≥paca¬†- Representa√ß√£o em mapa das varia√ß√Ķes de espessura real de um corpo geol√≥gico atrav√©s de linhas que unem pontos de mesma espessura em m√ļltiplos de determinados valores e projetadas esses linhas verticalmente no plano do mapa.
Jorro¬†- √Č o fluxo espont√Ęneo de √°gua de um po√ßo em aq√ľ√≠fero confinado. Sin√īnimo: artesiano.
Jusante - Uma área ou um ponto que fica abaixo de outro ao se considerar uma corrente fluvial ou tubulação na direção da foz, do final. O contrário de montante.
Kanat¬†- Galeria subterr√Ęnea para o fornecimento de √°gua, que se inicia sob o n√≠vel fre√°tico e se dirige para a superf√≠cie do solo, com um declive menor que o n√≠vel fre√°tico e o declive da superf√≠cie.
Lago¬†- Massa de √°gua continental de tamanho consider√°vel. Denomina√ß√£o gen√©rica para qualquer por√ß√£o de √°guas represadas circundada por terras de ocorr√™ncia natural ou resultante da execu√ß√£o de obras, como barragens em curso de √°gua ou escava√ß√£o do terreno. Depress√Ķes do solo produzidas por causas diversas e cheias de √°guas confinadas, mais ou menos tranq√ľilas, pois dependem da √°rea ocupada pelas mesmas. As formas, as profundidades e as extens√Ķes dos lagos s√£o muito vari√°veis. Geralmente, s√£o alimentados por um ou mais ‚Äúrios afluentes‚ÄĚ. Possuem tamb√©m ‚Äúrios emiss√°rios‚ÄĚ, o que evita seu transbordamento.
Lagoa¬†- Depress√£o de formas variadas, principalmente tendentes a circulares, de profundidades pequenas e cheias de √°gua salgada ou doce. As lagoas podem ser definidas como lagos de pequena extens√£o e profundidade (...) Muito comum √© reservarmos a denomina√ß√£o ‚Äúlagoa‚ÄĚ para as lagunas situadas nas bordas litor√Ęneas que possuem liga√ß√£o com o oceano.
Laguna¬†- Sepress√£o contendo √°gua salobra ou salgada, localizada na borda litor√Ęnea. A separa√ß√£o das √°guas da laguna das do mar pode se fazer por um obst√°culo mais ou menos efetivo, mas n√£o √© rara a exist√™ncia de canais, pondo em comunica√ß√£o as duas √°guas.
Leito do Rio - Parte inferior de um vale fluvial, moldado pelo escoamento, e ao longo do qual se deriva a maior parte do caudal e dos sedimentos transportados pelo escoamento em períodos entre cheias.
Len√ßol Fre√°tico¬†- Superf√≠cie que delimita a zona de aera√ß√£o e a zona saturada. A press√£o da √°gua nesta superf√≠cie esta em equil√≠brio com a press√£o atmosf√©rica. O len√ßol fre√°tico tende a acompanhar o modelo topogr√°fico e oscila, ao longo do ano, sendo rebaixado com o escoamento para nascentes ou elevado com a incorpora√ß√£o de √°gua infiltrada da chuva e/ou de degelo. Os len√ß√≥is fre√°ticos abastecem os mananciais e s√£o importantes como fonte de √°gua para a popula√ß√£o n√£o abastecida por rede p√ļblica. Por serem rasos s√£o muito vulner√°veis a polui√ß√£o.
Litologia¬†- √Č todo o material geol√≥gico formador da crosta terrestre. Exemplo: areia, argila, granito, sedimento, rocha.
Livre - O mesmo que freático.
Lixivia√ß√£o¬†- Processo que sofrem as rochas e solos, ao serem lavados pela √°gua das chuvas (...) Nas regi√Ķes intertropicais de clima √ļmido os solos tornam-se est√©reis com poucos anos de uso, devido, em grande parte, aos efeitos da lixivia√ß√£o.A lixivia√ß√£o tamb√©m ocorre em vazadouros e aterros de res√≠duos, quando s√£o dissolvidos e carreados certos poluentes ali presentes para os corpos d‚Äô√°gua superficiais e subterr√Ęneos.
Lodo - Mistura de água, terra e materiais sólidos acumulados, separados por diversos tipos de águas, que resultam de processos naturais ou artificiais.
Manancial¬†- Qualquer corpo d‚Äô√°gua, superficial ou subterr√Ęneo utilizado para abastecimento humano, industrial, animal ou irriga√ß√£o.
Mapa Hidrogeol√≥gico¬†- √Č uma representa√ß√£o bidimensional, sint√©tica e escalada da distribui√ß√£o areal dos v√°rios sistemas aq√ľ√≠feros aflorantes de uma √°rea, junto com caracter√≠sticas: geogr√°ficas (ex.: cidade); geom√©tricas (ex.: limites); hidrol√≥gicas (ex.: √°rea de recarga); hidrogeoqu√≠micas (ex.: res√≠duo seco); hidr√°ulicas (ex.: transmissibilidade); al√©m dos dados de identifica√ß√£o e de significa√ß√£o do mapa.
Massa de √Āgua¬†- Massa de √°gua distinta de outras massas de √°gua.
Meio Ambiente¬†- √Č o conjunto dos elementos e fatores (condi√ß√Ķes, leis, influ√™ncias e intera√ß√Ķes) f√≠sicos, qu√≠micos e biol√≥gicos, naturais e artificiais, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas e necess√°rios √† sobreviv√™ncia das esp√©cies. O meio ambiente √© formado pelos elementos produzidos pela pr√≥pria natureza (√°gua, solo, vegeta√ß√£o, rios, relevo, clima, etc.), e pelos elementos produzidos pelo homem (habita√ß√Ķes, f√°bricas, campos cultivados, etc.).
Metamorfismo - Transformação sofrida por uma rocha sob a ação de temperatura, pressão, gases e vapor de água, que produzem isolada ou conjuntamente, uma recristalização parcial ou total, formando-se novos minerais e novas texturas sem ocorrer fusão da rocha.
Metro C√ļbico (m3)¬†- Equivale a 1000 litros.
Mon√ß√£o¬†- Vento peri√≥dico que, no ver√£o, sopra do mar para o continente e inversamente no inverno,sendo t√≠pico do sul e sudeste da √Āsia. Chuvas de mon√ß√Ķes = chuvas de ver√£o.
Montante - Um lugar situado acima de outro, tomando-se em consideração a corrente fluvial que passa na região. O relevo de montante é, por conseguinte, aquele que está mais próximo das cabeceiras de um curso d’água, enquanto o de jusante está mais próximo da foz.
Nascente Artesiana¬†- Nascente cuja √°gua prov√©m de um aq√ľ√≠fero artesiano, geralmente atrav√©s de uma fissura ou outro tipo de abertura da forma√ß√£o imperme√°vel que delimita o aq√ľ√≠fero.
N√≠vel da √Āgua¬†- Altura da superf√≠cie livre de uma massa de √°gua em rela√ß√£o a um plano de refer√™ncia.
N√≠vel da √Āgua Subterr√Ęnea¬†- Cotado n√≠vel fre√°tico ou superf√≠cie piezom√©trica de um aq√ľ√≠fero num determinado local e momento.
N√≠vel Fre√°tico¬†- Superf√≠cie na zona de satura√ß√£o de um aq√ľ√≠fero livre submetida √† press√£o atmosf√©rica.
Olho de √Āgua (Nascente)¬†- Local onde se verifica o aparecimento de √°gua por afloramento do len√ßol fre√°tico (resolu√ß√£o n¬ļ 4, de 18.09.05,do CONAMA).
Onda¬†- Oscila√ß√£o da superf√≠cie de um lago ou de uma massa de √°gua similar, causada por terremotos, ventos ou varia√ß√Ķes da press√£o atmosf√©rica.
Onda Cheia¬†- Eleva√ß√£o do n√≠vel das √°guas de um rio at√© o pico e subseq√ľentemente recess√£o, causada por um per√≠odo de precipita√ß√£o, fus√£o das neves, ruptura da barragem ou libera√ß√£o de √°gua por central el√©trica.
Organol√©pticas¬†- S√£o as propriedades da √°gua que afetam os sentidos: cor, odor, sabor, calor. Normalmente a √°gua subterr√Ęnea √© incolor, inodora e ins√≠pida.
√ďrg√£o Gestor¬†- √Č a institui√ß√£o interante do Sistema de Gerenciamento de Recursos H√≠dricos que tem como compet√™ncia realizar a implementa√ß√£o da Pol√≠tica Estadual de Recursos H√≠dricos.
Orográficas - Relativo às montanhas ou condicionado à existência de montanhas.
Orvalho - Depósito de gotas de água nos objetos próximos do solo, provenientes da condensação do vapor de água contido no ar.
Osmose¬†- Fen√īmeno produzido quando duas subst√Ęncias l√≠quidas, ou dissolvidas com concentra√ß√Ķes desiguais e separadas por membrana semiperme√°vel, a atravessam e se misturam.
Outorga¬†- √Č um dos instrumentos de gest√£o de recursos h√≠dricos, no qual o usu√°rio recebe uma autoriza√ß√£o para fazer uso da √°gua. √Č um documento que garante a tomada da √°gua, de determinada vaz√£o, de certa fonte h√≠drica, em local definido, para um determinado uso, durante um per√≠odo de tempo, podendo-lhe ser assegurado de uso desta √°gua.
P√Ęntano¬†- Grande dep√≥sito artificial de √°gua formado por um muro grosso que se constr√≥i atrav√©s de um rio, arroio ou canal, para armazenar √°gua a fim de regular seu curso fora da bacia; zona, geralmente na desembocadura dos rios, mal drenada e permanentemente √ļmida. Terreno baixo inundado na esta√ß√£o das chuvas e geralmente √ļmido em qualquer √©poca.
Percola√ß√£o¬†- √Č a capacidade de um fluido deslocar-se em um meio poroso.
Perdas de √Āgua¬†- Num balan√ßo h√≠drico, quantidade de √°gua perdida numa dada regi√£o, durante um certo per√≠odo de tempo, pela transpira√ß√£o das culturas ou da vegeta√ß√£o natural e forma√ß√£o do tecido vegetal, por evapora√ß√£o da superf√≠cie de √°gua, da umidade do solo e da neve, e por intercep√ß√£o.
Permeabilidade¬†- Propriedade dos aq√ľ√≠feros de permitir o fluxo livre das √°guas. Para que um material seja perme√°vel √© necess√°rio que seus poros tenham aberturas capazes de permitir o fluxo da √°gua e que estes poros estejam conectados entre si, para que o fluxo se processe. Expressa a √°rea (dos poros) dispon√≠vel ao fluxo.
pH (Potencial Hidrogeni√īnico)¬†- √Č um par√Ęmetro qu√≠mico que indica a concentra√ß√£o de √≠ons de hidrog√™nio numa solu√ß√£o aquosa, indicando qu√£o √°cida ou alcalina √© uma subst√Ęncia. √ą representada por uma escala logar√≠tmica que varia de 0 a 14. Valores abaixo de 7,0 s√£o √°cidos (corrosiva) e acima s√£o alcalinos ou b√°sicas (incrustante). O valor 7,0 √© neutro. As √°guas com pH maior do que 7,0 s√£o as mais leves ao paladar.
Piscicultura¬†- √Č a atividade com o uso de recurso h√≠drico para a cria√ß√£o, engorda e com√©rcio de peixes, utilizando-se de tanques, viveiros ou a√ßudes.
Pl√Ęncton¬†- Conjunto dos seres vivos que flutuam sem atividades nas massas de √°gua de lagos ou de oceanos. A parte vegetal √© chamada fitopl√Ęncton e ocorre at√© onde chegam os raios de sol (cerca de 100 metros de profundidade, dependendo da altitude). A parte da fauna √© chamada zoopl√Ęncton e √© formada basicamente de min√ļsculos crust√°ceos. O pl√Ęncton √© a principal reserva alimentar dos ecossistemas marinhos.
Plano Estadual de Recursos H√≠dricos¬†- √Č um dos instrumentos da Pol√≠tica Estadual de Recursos H√≠dricos que visa fundamentar, planejar e orientar a sua implementa√ß√£o e o gerenciamento dos recursos h√≠dricos.
Pluvi√īmetro¬†- Instrumento para medir a altura da √°gua da precipita√ß√£o num ponto.
Po√ßo¬†- Obra de perfura√ß√£o efetuada com o objetivo de extrair √°gua subterr√Ęnea. Se efetuada em profundidade e com maior di√Ęmetro denomina-se furo.
Po√ßo Artesiano¬†- Po√ßo que se comunica como aq√ľ√≠fero artesiano, no qual o n√≠vel da √°gua se eleva acima da superf√≠cie do solo.
Po√ßo Jorrante¬†- Po√ßo perfurado em aq√ľ√≠fero artesiano, no qual a √°gua jorra naturalmente na superf√≠cie do terreno.
Po√ßo Radial¬†- Po√ßo escavado com di√Ęmetro maior que o normal que possui em sua parte inferior um conjunto de drenos cravados nas paredes e que penetram radialmente o aq√ľ√≠fero, aumentando a √°rea de capta√ß√£o e, portanto, a produ√ß√£o do mesmo.
Pol√≠tica da √Āgua¬†- Conjunto de normas legislativas e legais, decis√Ķes governamentais, pol√≠ticas de gest√£o e respostas culturais para a conserva√ß√£o quantitativa e qualitativa dos recursos h√≠dricos de uma regi√£o, bacia hidrogr√°fica ou pa√≠s.
Pol√≠tica Estadual de Recursos H√≠dricos¬†- √Č o conjunto consistente de princ√≠pios doutrin√°rios que conformam as aspira√ß√Ķes sociais e/ou governamentais no que concerne √† regulamenta√ß√£o ou modifica√ß√£o nos usos, controle e prote√ß√£o de recursos h√≠dricos, garantindo sua utiliza√ß√£o para gera√ß√Ķes futuras.
Poluente¬†- Subst√Ęncia, meio ou agente que provoque, direta ou indiretamente qualquer forma de polui√ß√£o.
Polui√ß√£o¬†- √Č a contamina√ß√£o ou qualquer interfer√™ncia danosa nos processos de transmiss√£o e/ou altera√ß√£o das propriedades f√≠sicas, qu√≠micas e biol√≥gicas do meio ambiente e das √°guas, pelo lan√ßamento de quaisquer subst√Ęncias s√≥lidas, l√≠quidas ou gasosas, que se tornem efetiva ou potencialmente nocivas √† sa√ļde, √† seguran√ßa e ao bem-estar p√ļblicos, comprometendo seu emprego para uso dom√©stico, agr√≠cola, pastoril, recreativo e industrial, ou para outros fins justificados e √ļteis, bem como cause danos ou preju√≠zos √† flora e fauna.
Poro¬†- √Č todo aquele espa√ßo n√£o-s√≥lido, dentro de um corpo s√≥lido e pode ser: detr√≠tico, fraturado, vesicular, vugular.
Porosidade - Volume de vazios existentes nas rochas sedimentares e sedimentos não consolidados. Nestes os espaços vazios são os poros intergranulares, homogeneamente distribuídos. Nas rochas ígneas e metamórficas os espaços são constituídos por fraturas. A porosidade é expressa em termos percentuais, e representa a quantidade de água que a unidade de volume de um material pode armazenar em seus vazios. Abaixo do nível freático os poros são preenchidos totalmente por água e acima por ar e parcialmente por água aderida à superfície dos grãos. Apesar de a porosidade ser um fator importante na infiltração da água no solo, é necessário separá-la do conceito de permeabilidade, pois um solo argiloso pode ser muito poroso, mas ter pouca permeabilidade.
Potencial Explot√°vel¬†- Corresponde √† quantidade de √°gua que pode ser retirada do aq√ľ√≠fero sem riscos para o sistema e que normalmente √© calculada sobre 25% do total da reserva ativa ou reguladora.
PPM¬†- √Č a abrevia√ß√£o de partes por milh√£o de solvente em soluto; √© equivalente a miligramas por litro (mg/L) se a concentra√ß√£o da solu√ß√£o for baixa.
Precipita√ß√£o¬†- Produtos, sob forma l√≠quida ou s√≥lida, resultantes da condensa√ß√£o do vapor de √°gua, que caem das nuvens ou que s√£o depositados pelo ar √ļmido sobre o solo.
Preserva√ß√£o¬†- √Č tornar intoc√°veis os recursos naturais e o meio ambiente, preservando-os para o deleite das futuras gera√ß√Ķes. N√£o se deve confundir com ‚Äúprote√ß√£o‚ÄĚ e ‚ÄĚconserva√ß√£o‚ÄĚ que permitem o uso e aproveitamento racional.
Pressão Capilar - Diferença de pressão ao longo da interface curva água/ar.
Press√£o Din√Ęmica¬†- Press√£o devida √† energia cin√©tica de um fluido.
Previsão de Cheias - Previsão do nível, caudal, tempo de ocorrência e duração de uma cheia, especialmente do seu caudal máximo em determinado ponto do curso da água, resultante da ocorrência de precipitação e/ou degelo.
Previs√£o do Abastecimento de √Āgua¬†- Previs√£o do volume de √°gua dispon√≠vel numa √°rea e per√≠odo de tempo determinado, incluindo, se poss√≠vel, sua distribui√ß√£o temporal e as probabilidades correspondentes.
Prov√≠ncia Hidrogeol√≥gica¬†- √Č uma regi√£o que possui sistemas aq√ľ√≠feros com condi√ß√Ķes semelhantes de armazenamento; circula√ß√£o e qualidade de √°gua.
Purifica√ß√£o¬†- Tratamento de √°guas naturais ou residuais de modo a modificar as propriedades f√≠sicas e eliminar as subst√Ęncias qu√≠micas e organismos vivos considerados nocivos e indesej√°veis.
Qualidade da √Āgua¬†- Caracter√≠sticas qu√≠micas, f√≠sicas e biol√≥gicas, relacionadas com o seu uso para um determinado fim. A mesma √°gua pode ser de boa qualidade para um determinado fim e de m√° qualidade para outro, dependendo de suas caracter√≠sticas e das exig√™ncias requeridas pelo uso espec√≠fico.
Quartzo¬†- Segundo mineral mais importante na forma√ß√£o das rochas gran√≠ticas e gnaisses da crosta terrestre. Sua f√≥rmula qu√≠mica √© SiO2 (√≥xido de sil√≠cio), √© mais duro do que os feldspatos. √Č um mineral dificilmente atacado pelo intemperismo qu√≠mico, raz√£o pela qual forma a fra√ß√£o arenosa dos solos. No processo de transporte √© separado sendo depositado em locais diferentes daqueles onde s√£o depositadas as argilas originadas pela decomposi√ß√£o dos feldspatos e micas.
Queda de √Āgua¬†- Queda de √°gua vertical ou descida com grande declive de um curso de √°gua.
Racionamento¬†- Limita√ß√£o do consumo dos recursos h√≠dricos, a fim de garantir a distribui√ß√£o eq√ľitativa para todos os usu√°rios outorgados de uma bacia hidrogr√°fica, bem como para os usos considerados insignificantes, em raz√£o de situa√ß√£o hidrol√≥gica cr√≠tica, principalmente as secas prolongadas.
Raio Hidráulico - Relação entre a área da secção líquida e o perímetro molhado de um curso de água, canal ou conduta fechada.
Ravina - Canal profundamente erodido pela ação da água de escorrência durante períodos de fortes chuvaradas ou degelo.
Rebaixamento¬†- √Č o descenso da superf√≠cie potenciom√©trica do aq√ľ√≠fero abaixo do n√≠vel inicial.
Recarga¬†- Introdu√ß√£o artificial de √°guas num aq√ľ√≠fero, p√≥s tratamento adequado.
Recife - Proeminência ou massa de rochas ou de coral (ou de um banco de areia estendido) junto à superfície do oceano.
Recursos H√≠dricos¬†- Numa determinada regi√£o ou bacia, √© qualquer cole√ß√£o d‚Äô√°gua superficial ou subterr√Ęnea que pode ser obtida e est√° dispon√≠vel para o uso humano. Segundo a ONU, n√£o passa de um por cento das √°guas totais do planeta.
Recursos H√≠dricos Internos Renov√°veis (RHIR)¬†- Inclui a m√©dia anual do escoamento dos rios e a recarga dos aq√ľ√≠feros oriundos da precipita√ß√£o que ocorre dentro dos limites do pa√≠s ou regi√£o. Medida em quil√īmetros c√ļbicos por ano (km3/ano).
Recursos Naturais - São o conjunto de riquezas atuais e potenciais existentes na natureza, à disposição do homem.
Rede de Abastecimento de √Āgua¬†- Ou sistema de abastecimento de √°gua, √© o conjunto dos reservat√≥rios, bombas e condutas que s√£o necess√°rios para assegurar aos diversos utilizadores um fornecimento de √°gua com a quantidade e a qualidade exigidas.
Rede de Esgoto - Termo coletivo para o sistema de coleta e usina de tratamento de esgoto num determinado bairro ou região.
Rede Hidrográfica - Conjunto de rios e outros cursos de água, permanentes ou temporários, incluindo lagos e reservatórios em determinada região.
Rede Hidrom√©trica¬†- Conjunto de esta√ß√Ķes hidrom√©tricas e pontos de observa√ß√£o situados em determinada zona (bacia hidrogr√°fica, regi√£o administrativa), que proporcionam informa√ß√£o para o estudo do regime hidrol√≥gico.
Rega - Aplicação artificial de água com fins agrícolas.
Reserva Ativa ou Reguladora do Aq√ľ√≠fero¬†- Corresponde √† quantidade de √°gua que alimenta o aq√ľ√≠fero anualmente. Pode ser direta ou indireta. Unidade: m3/ ano ou km3/ ano.
Reserva Permanente do Aq√ľ√≠fero¬†- Corresponde √° quantidade de √°gua armazenada no aq√ľ√≠fero. Unidade: m3 ou km3.
Reservat√≥rio de √Āgua¬†- √Č toda massa de √°gua, natural ou artificial, usada para armazenar, regular e controlar os recursos h√≠dricos. A partir da se√ß√£o imediatamente a montante de um barramento, √© todo volume dispon√≠vel, constitu√≠do de alturas atingidas pelas √°guas e respectiva √°rea superficial abrangida (espelho d‚Äô√°gua), descritos por curvas cota-volume e cota-√°rea.
Res√≠duo Seco¬†- √Č o par√Ęmetro qu√≠mico que indica a quantidade de √≠ons dissolvidos em √°gua; obtidos por evapora√ß√£o em estufa; unidade: mg/L, ppm. Em √°gua subterr√Ęnea, est√° na ordem da centena de ppm. Sin√īnimo: Total de S√≥lidos Dissolvidos.
Ressurg√™ncia¬†- Reaparecimento ao ar livre, ap√≥s percurso subterr√Ęneo, de um curso de √°gua superficial que tinha desaparecido a montante.
Reten√ß√£o¬†- √Č a capacidade do meio poroso de imobilizar a √°gua por molhamento; deve-se a for√ßas moleculares e corresponde a √°gua pelicular. Assim, parte da √°gua infiltrada fica indispon√≠vel ao fluxo na zona de aera√ß√£o.
Reuso - Trata-se de uma alternativa mais plausível para satisfazer as demandas menos restritivas como, por exemplo, utilizar as águas domésticas servidas mais de uma vez, após tratada, realizar o reuso urbano não potável, o reuso industrial ou o reuso agrícola, liberando as águas de melhor qualidade para usos mais nobres, como o abastecimento e consumo humano.
Rio - Canal natural de drenagem de superfície que tem uma descarga anual relativamente grande. Um rio geralmente termina oceano.
Rocha¬†- √Č a litologia agregada, formando um corpo s√≥lido.
Rocha Encaixante - Rocha ou conjunto de rochas onde se encaixou uma intrusão ígnea (sill, dique), um depósito mineral, um domo de sal ou outra massa rochosa diferenciada e geralmente mais jovem.
Saliniza√ß√£o¬†- Degrada√ß√£o de terras f√©rteis causadas pelo sal. A saliniza√ß√£o das terras agr√≠colas √© comum em √°reas que dependem de irriga√ß√£o: a evapora√ß√£o superficial retira sais do solo e das pedras do subsolo, sendo que a redu√ß√£o das √°guas subterr√Ęneas aumenta o percentual de minerais e sais na √°gua armazenada.
Saneamento Ambiental¬†- √Č a parte do saneamento que se encarrega da prote√ß√£o do ar, do solo e das √°guas contra a polui√ß√£o e a contamina√ß√£o.
Seca Hidrol√≥gica ou Seca¬†- Per√≠odo de tempo excepcionalmente seco, suficientemente prolongado para provocar uma consider√°vel diminui√ß√£o das reservas h√≠dricas, como a redu√ß√£o significativa do caudal dos rios, do n√≠vel dos reservat√≥rios e/ou descida dos n√≠veis de √°gua no solo e nos aq√ľ√≠feros. Conseq√ľ√™ncia de aus√™ncia prolongada ou marcada escassez de precipita√ß√£o.
Sedimenta√ß√£o¬†- Ac√ļmulo de solo e/ou part√≠culas minerais no leito de um corpo d‚Äô√°gua. Em geral, esse ac√ļmulo √© causado pela eros√£o de solos pr√≥ximos, ou pelo movimento vagaroso de um corpo d‚Äô√°gua, como ocorre quando um rio √© representado para formar um reservat√≥rio.
Sedimento¬†- √Č a litologia depositada e n√£o-consolidada. Exemplo: areia.
Sif√£o¬†- Conduta fechada uma parte da qual est√° acima da linha piezom√©trica. Pelo que neste tramo se verifica uma press√£o inferior √† atmosf√©rica o que o obriga √† realiza√ß√£o de uma descarga parcial para amortecer o escoamento. O sif√£o utiliza a press√£o atmosf√©rica para produzir ou aumentar o escoamento de √°gua que o atravessa. Pode parecer naturalmente em regi√Ķes c√°rsicas.
Sill (Soleira) - Corpo ígneo tabular semelhante a um dique do qual se distingue por ser intrusivo paralelamente a estrutura planar (estratificação, xistosidade, clivagem ardosiana) da rocha encaixante.
Silte - Fragmento de mineral ou rocha menor do que areia fina e maior do que argila. Como depósito sedimentar corresponde a material muito fino e friável e que à medida que se combina com argila, nos sedimentos síltico-argilosos, torna-se ais coeso e plástico.
Sistema Aq√ľ√≠fero¬†- √Č a unidade aq√ľ√≠fera formada por mais de uma forma√ß√£o geol√≥gica, com caracter√≠sticas hidrogeol√≥gicas semelhantes, e que hidraulicamente est√£o interconectadas.
Sistema de Abastecimento P√ļblico de √Āgua¬†- √Č o conjunto de obras, instala√ß√Ķes e servi√ßos, destinados a produzir e distribuir √°gua pot√°vel a uma comunidade, em quantidade e qualidade compat√≠veis com as necessidades da popula√ß√£o, para fins de consumo dom√©stico, servi√ßos p√ļblicos, consumo industrial e outros usos. Destina-se a melhorar as condi√ß√Ķes de Sa√ļde P√ļblica, tanto do ponto de vista f√≠sico, pela elimina√ß√£o das doen√ßas de veicula√ß√£o h√≠drica, como pela social, pela melhoria das condi√ß√Ķes de comodidade na obten√ß√£o e uso da √°gua.
Sobre-Explota√ß√£o (Super Explota√ß√£o)¬†- √Č a retirada de √°gua subterr√Ęnea em excesso em rela√ß√£o √† norma fixada, ligada a conserva√ß√£o do equil√≠brio no longo termo.
Submers√£o¬†- Condi√ß√Ķes de um descarregador quando o n√≠vel de √°gua a jusuante √© igual ou superior √† cota da crista do descarregador.
Subsid√™ncia de Solos¬†- √Č o movimento para baixo ou afundamento do solo causado pela perda de suporte subjacente, provocando uma compacta√ß√£o diferenciada do terreno que leva ao colapso das constru√ß√Ķes civis.
Sumidouro¬†- Em hidrologia, significa uma cavidade, em forma de funil, na superf√≠cie do solo, que se comunica com o sistema de drenagem subterr√Ęnea, em regi√Ķes calc√°rias, causada pela dissolu√ß√£o da rocha. J√°, na engenharia sanit√°ria, significa um po√ßo destinado a receber o efluente da fossa s√©ptica e permitir sua infiltra√ß√£o subterr√Ęnea.
Superf√≠cie Fre√°tica¬†- Designada para um aq√ľ√≠fero livre ou po√ßos (cacimbas) e representa o n√≠vel da √°gua no interior do po√ßo.
Superf√≠cie Potenciom√©trica¬†- √Č aquela em que se estabelece o n√≠vel da √°gua do aq√ľ√≠fero; indica o n√≠vel de energia mec√Ęnica da √°gua; ou seja, √© a altura da √°gua na qual o aq√ľ√≠fero encontra-se submetido. Pode ser cont√≠nua (aq√ľ√≠fero livre) ou descont√≠nua (confinado); a diferen√ßa de altura entre tal superf√≠cie e a topografia d√° a profundidade da √°gua subterr√Ęnea. Sin√īnimo: fre√°tica (livre), no caso de aq√ľ√≠feros livres; potenciom√©trica (confinada), no caso de aq√ľ√≠feros confinados.
Talvegue - Linha que percorre a parte mais funda do leito de um curso de água ou de um vale.
Tanque¬†- Reservat√≥rio escavado com trator em terreno com declive, fora do √°lveo de curso d‚Äô√°gua, formando uma √°rea c√īncava com uma coroa do material escavado para armazenamento das √°guas de chuva.
Taxa de Renova√ß√£o¬†- Rela√ß√£o entre a alimenta√ß√£o m√©dia anual de um aq√ľ√≠fero, expressa em unidades de volume, e o armazenamento m√©dio de √°guas subterr√Ęneas de um aq√ľ√≠fero.
Tempo Geol√≥gico¬†- Escala de tempo usada no estudo de fen√īmenos geol√≥gicos, tendo como unidade milh√Ķes de anos.
Teor de Umidade do Solo - Percentagem de água no solo, expressa em relação ao peso do solo seco ou ao volume.
Tomada D‚Äô√°gua¬†- √Č uma estrutura constru√≠da em concreto, alvenaria ou outro material num corpo h√≠drico ou estrutura hidr√°ulica para a capta√ß√£o ou deriva√ß√£o de √°gua para determinada finalidade.
Torrente - Curso de água de grande declive que se escoa geralmente a uma grande velocidade e de forma turbulenta.
Transgressão - Sedimentação decorrente do avanço do mar sobre uma região. Em oposição tem-se regressão, que acontece com o recuo do nível do mar, transformando áreas de sedimentação em áreas emersas, sujeitas ao retrabalhamento pela erosão.
Transmissibilidade¬†- √Č o par√Ęmetro hidr√°ulico que indica a capacidade do aq√ľ√≠fero de transmitir √°gua, em toda a sua espessura saturada; fisicamente, √© a vaz√£o do aq√ľ√≠fero por unidade de largura (perpendicular ao fluxo) em fun√ß√£o de um gradiente hidr√°ulico unit√°rio, numa base de √°rea unit√°ria. Unidade: m2/dia.
Transpiração - Processo pelo qual a água absorvida pelos vegetais se evapora para a atmosfera.
Tratamento¬†- Processo artificial de depura√ß√£o e remo√ß√£o das impurezas, subst√Ęncias e compostos qu√≠micos de √°gua captada dos cursos naturais, de modo a torna-la pr√≥pria ao consumo humano, ou de qualquer tipo de efluente l√≠quido, de modo a adequar sua qualidade para a disposi√ß√£o final.
Tratamento Prim√°rio¬†- Opera√ß√Ķes unit√°rias, com vistas principalmente √† remo√ß√£o e estabiliza√ß√£o de s√≥lidos em suspens√£o, tais como sedimenta√ß√£o, digest√£o de iodo, remo√ß√£o da umidade do iodo.
Tratamento Químico - Qualquer processo envolvendo a adição de reagentes químicos para a obtenção de um determinado resultado.
Tratamento Secund√°rio¬†- Opera√ß√Ķes unit√°rias de tratamento, visando principalmente √† redu√ß√£o de carga org√Ęnica dissolvida, geralmente por processos biol√≥gicos de tratamento.
Tratamento Terci√°rio¬†- Opera√ß√Ķes unit√°rias que se desenvolvem ap√≥s o tratamento secund√°rio, visando ao aprimoramento da qualidade do efluente, por exemplo √† desinfec√ß√£o, √† remo√ß√£o de fosfatos e outras subst√Ęncias.
Trecho de Corpo Hídrico - Segmento de um corpo d’água onde as características são consideradas uniformes.
Umidade Relativa - A uma pressão e temperaturas dadas, é a relação percentual entre a fração molar do vapor de água e a fração molar que o ar teria se estivesse saturado de água à mesma pressão e temperatura.
Unidade - Medida da quantidade de vapor d’água contido no ar atmosférico.
Uso de √Āgua na Agricultura¬†- Inclui principalmente irriga√ß√£o e em escala bem menor manuten√ß√£o de animais.
Uso de √Āgua no Setor Dom√©stico¬†- Inclui dessedenta√ß√£o mais o uso nas casas, municipalidades, estabelecimentos comerciais e servi√ßos p√ļblicos. Exemplo: hospitais.
Uso dos Recursos H√≠dricos¬†- Toda e qualquer atividade humana que, de qualquer modo, altere as condi√ß√Ķes naturais das √°guas.
Uso Industrial da √Āgua¬†- Constitui o uso dos recursos h√≠dricos como mat√©ria prima de produ√ß√£o e tamb√©m de insumo para o processo produtivo industrial, tais como: fonte de energia (vapor), caldeiras, sistemas de refrigera√ß√£o, combate a inc√™ndios, fins sanit√°rios e outros.
Uso Rural da √Āgua¬†- √Č o uso do recurso h√≠drico para as atividades na zona rural como irriga√ß√£o, insumo na cria√ß√£o de animais em sistema intensivo de confinamento ou extensiva ou ainda para a simples dessedenta√ß√£o animal.
Usos Ben√©ficos da √Āgua¬†- S√£o os que promovem benef√≠cios econ√īmicos e bem-estar √† sa√ļde da popula√ß√£o. Os usos ben√©ficos permitidos para um determinado corpo d‚Äô√°gua s√£o chamados usos leg√≠timos de corpos d‚Äô√°gua: Abastecimento P√ļblico; Uso Est√©tico: (uso da √°gua que contribui para compor as paisagens naturais ou resultantes da cria√ß√£o humana); Recrea√ß√£o: (atividade f√≠sica exercida pelo homem na √°gua, como divers√£o); Preserva√ß√£o da Flora e Fauna: (uso da √°gua para manter a biota natural nos ecossistemas aqu√°ticos); Atividades Agropastoris: (uso da √°gua para irriga√ß√£o de culturas, dessedenta√ß√£o e cria√ß√£o de animais); Abastecimento Industrial: (uso da √°gua para fins industriais, inclusive gera√ß√£o de energia).
Usos M√ļltiplos da √Āgua¬†- Coloca todas as categorias usu√°rias em igualdade de condi√ß√Ķes em termos de acesso aos recursos h√≠dricos, sem privil√©gios.
Vazante - O refluxo da maré da preia-mar para a baixa-mar, ou o período durante o qual tal se dá.
Vaz√£o¬†- √Č o volume de √°gua que passa por uma determinada se√ß√£o de um conduto por uma unidade de tempo. Usualmente √© dado em litros por segunda (l/s), em metros c√ļbicos por segundo (m3/s) ou em metros c√ļbicos por hora (m3/h).
Vo√ßoroca¬†- Processo erosivo subterr√Ęneo causado por infiltra√ß√£o de √°guas pluviais, atrav√©s de desmoronamento e que se manifesta por grandes fendas na superf√≠cie do terreno afetado, especialmente quando este √© de encosta e carece de cobertura vegetal.
Zona √Ārida¬†- Regi√£o onde a evapora√ß√£o excede permanentemente a precipita√ß√£o.
Zona de Aera√ß√£o¬†- Regi√£o entre o len√ßol fre√°tico e a superf√≠cie do terreno. Recebe este nome porque est√° preenchida por ar atmosf√©rico e cont√©m pouca √°gua, na forma de umidade. Esta camada do solo √© importante na purifica√ß√£o das √°guas que se infiltram, atuando como filtro, como zona de oxida√ß√£o de mat√©ria org√Ęnica e de reten√ß√£o de uma gama variada de metais pesados; √© a zona n√£o saturada acima da superf√≠cie fre√°tica; inclui a zona capilar. Em contraposi√ß√£o com a zona de satura√ß√£o. Sin√īnimo aerada, vadosa, insaturada, n√£o saturada.
Zona de Recarga¬†- Local ou √°rea onde a √°gua passa da superf√≠cie do terreno para o interior do solo, indo alcan√ßar a zona saturada. √Ārea onde ocorre infiltra√ß√£o capaz de alimentar o aq√ľ√≠fero.
Zona Saturada¬†- Regi√£o em que todos os poros e fraturas est√£o completamente preenchidos por √°gua. Sua superf√≠cie superior d√° origem ao len√ßol d‚Äô√°gua. Acima dela est√° a zona n√£o-saturada. Sin√īnimo: zona de satura√ß√£o.
Zona Semi-√°rida¬†- Regi√£o onde a evapora√ß√£o excede freq√ľentemente a precipita√ß√£o.