Biodiversidade em pauta

Projeto Água em Foco, desenvolvido pelo Comitê Rio Passo Fundo em parceria com o Colégio Bom Conselho, leva alunos do sexto ano para o Muzar

   Olhares curiosos, mentes inquietas e mãos segurando papel e caneta. Assim, em meio à curiosidade e ao aprendizado, os alunos das duas turmas de 6º ano do Colégio Salvatoriano Bom Conselho puderam, através do Projeto Água em Foco, desenvolvido pelo Comitê Rio Passo Fundo em uma parceria com a escola, mergulhar no universo da biodiversidade através de uma visita ao Museu Zoobotânico Augusto Ruschi do Instituto de Ciências Biológicas da UPF, na manhã de segunda e terça-feira, 23 e 24. A atividade aconteceu em alusão ao Dia Mundial da Biodiversidade, comemorado no dia 22 de maio, data instituída pela ONU, e envolveu os alunos em um circuito de atividades que explorou conceitos ligados ao meio ambiente.

   Com caneta e papel na mão, Kelly Moraes Pinheiro, de 11 anos, anotou tudo aquilo que viu nas cinco exposições que visitou: Água e Biodiversidade, O Mundo dos Artrópodes: da beleza à medicina, Geologia e Paleontologia, Biodiversidade: preservação do ser humano e Ecossistemas sul-brasileiros. No espaço expositivo, os alunos participaram, ainda, de uma atividade que construiu, com o uso do barbante, uma teia que possibilitou que os alunos compreendessem um pouco mais sobre a biodiversidade e a relação entre a fauna e flora da Mata Atlântica. “Anotei tudo que pude porque não conhecia. Apesar de já conhecer o Muzar, as exposições são novas e aqui eu pude entender um pouco mais sobre o meio ambiente, animais e a importância da água”, contou a menina que, ao lado dos colegas, conheceu, além das exposições, os laboratórios de botânica e zoologia, onde aprenderam os processos de identificação e classificação de plantas e, também, de taxidermia e conservação de animais. “Para mim, os laboratórios foram a parte mais interessante, porque nos mostram o processo por trás de uma exposição”, continua Kelly.

    A proposta desenvolvida pelo Muzar foi pensada especificamente para se adequar ao Projeto Água em Foco e busca possibilitar que os alunos reconheçam o processo museológico de um museu de ciências naturais. “A nossa ideia é que os alunos compreendam o Museu não só como um local de acervo, mas, também, como um local de pesquisa e compartilhamento de conhecimento. O contato com as escolas permite apresentar aos estudantes um espaço que nem sempre é conhecido deles e que, por não ser formal – na sala de aula – possibilita uma interação maior”, coloca Vanessa Lando Bortoncello, bióloga e funcionária do Muzar. Impossíveis de separar, a gestão dos recursos hídricos e a biodiversidade não podem, segundo o presidente do Comitê Rio Passo Fundo, Claudir Luiz Alves, ser tratadas de forma dissociada. Para ele, a atividade é essencial para esclarecer isso aos alunos. “Talvez essa atividade esteja entre as que mais agradam os alunos, justamente porque apresenta um amplo espaço, repleto de possibilidades de interação: desde o acervo de peças ali conservadas até as diferentes exposições. Ali, eles podem compreender, na prática, como funciona a biodiversidade”, conclui.

 

Projeto Água em Foco
    O projeto “Água em foco: em busca da preservação dos recursos hídricos”, uma parceria do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Passo Fundo com o Colégio Bom Conselho, teve início em março e busca promover o debate ambiental dentro da escola e formar alunos capazes de identificar o meio ambiente como algo a ser mantido e preservado. Ao fim de cada atividade, os alunos são desafiados a produzir, em sala de aula, poemas, desenhos ou redações que, ao fim do projeto, serão reunidos em um livro que será apresentado à comunidade até o fim do ano.