Projeto Água em Foco discute questões sobre o solo

Atividade no Instituto Menino Deus abordou a relação dos recursos hídricos com o solo através de palestra

 

     Capaz de fundamentar a vida no planeta, o solo é base para produção de alimentos, fibras e energias. É, ainda, sustento de cidades, de infraestrutura de transportes e, também, fonte de matérias-primas e biodiversidade. Tamanha sua importância e necessidade de conservação, a ONU definiu 2015 como o Ano Internacional dos Solos e 15 de abril é instituído como o Dia Nacional da Conservação dos Solos. Buscando conscientizar e alertar sobre o papel e importância do solo para a vida humana, o Projeto Água em Foco, desenvolvido pelo Comitê Rio Passo Fundo em parceria com o Instituto Menino Deus, realizou na terça-feira, 28, a segunda atividade do projeto.

    Através de imagens, vídeos e da fala da engenheira agrônoma Valéria de Oliveira, membro do Comitê Rio Passo Fundo, os alunos puderam compreender aspectos essenciais que envolvem o solo. “O solo é capaz de influenciar em tudo. Se não tivesse solo, nenhum de nós estaria aqui. É importante para o clima, influencia na produção de alimentos e energia e, ainda, colabora para a manutenção da água e a biodiversidade do planeta. E é essa biodiversidade que mantém o solo vivo e solo é, na verdade, vida”, comentou Valéria.

    Depois da palestra, os alunos foram desafiados a construir uma poesia que aborde o conteúdo estudado e, também, um desenho que ilustre a produção. A próxima atividade do projeto será realizada dia 22 de maio, no Muzar.

 

Projeto Água em Foco

     O projeto “Água em foco: em busca da preservação dos recursos hídricos”, uma parceria do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Passo Fundo com o Instituto Menino Deus e teve início em março deste ano. Com o objetivo de promover o debate ambiental dentro da escola e formar alunos capazes de identificar o meio ambiente como algo a ser mantido e preservado, o projeto segue com atividades mensais até o mês de julho. Ao fim de cada atividade, os alunos das duas turmas de sétimos anos são desafiados a produzir, em sala de aula, poemas, desenhos ou redações que, ao fim do projeto, serão reunidos em um livro que será apresentado à comunidade até o fim do ano.