Reunião Ordinária aborda os problemas relacionados com solo

Poluição e mau uso do solo são os principais fatores que causam erosão e compactação do solo na região.

     A reunião ordinária do Comitê Rio Passo Fundo do mês de abril aconteceu no Instituto Federal do Rio Grande do Sul, Campus Sertão, e abordou a problemática “Solos”. A ONU declarou o ano de 2015 como Ano Internacional dos Solos, com o tema “Garantindo solos saudáveis para um mundo seguro em alimentos”. A discussão foi conduzida pelo Professor Márcio Vieira, representante do IFRS, instituição membro do Comitê, a partir da palestra intitulada "Conservação de solos e água: Questão de indissociabilidade !?!?

     O Solo fundamenta a vida no planeta pelas funções que lhe são inerentes. É base para produção de alimentos, fibras e energia, sustentáculo de cidades e infraestrutura de transportes, fonte de matérias-primas e biodiversidade, suporte dos grandes ciclos biogeoquímicos, filtra e transforma resíduos, atua como reservatório de água e ainda mantém o registro histórico da evolução do planeta. 

     Descontando-se a área coberta por águas, os solos brasileiros se estendem por 835 milhões de hectares, onde as lavouras e pastagens ocupam cerca de 40%, as florestas e áreas protegidas cerca 50% e os 10% restantes se referem a cidades e estradas.

    Foi abordado, ainda, os problemas que a região de abrangência da Bacia Hidrográfica do Rio Passo Fundo vem enfrentando, principalmente relacionada Às questões de erosão e permeabilidade do solo, a qual encontra-se muito inferior à media de precipitação. Segundo o professor do IFRS, Márcio Vieira, a precipitação média na região é de 100mm, porém o solo consegue absorver apenas 30mm por hora. Problemas como poluição e o mau uso do solo são as principais causas dos problemas enfrentados atualmente na região.