Comit√™ Rio Passo Fundo assume coordena√ß√£o adjunta do F√≥rum Ga√ļcho de Comit√™s

Claudir Luiz Alves, presidente do Comitê, representará a Região do Uruguai por dois anos

Caxias do Sul foi escolhida como a cidade sede da √ļltima reuni√£o do F√≥rum Ga√ļcho de Comit√™s de 2014 e, por isso, na √ļltima ter√ßa e quarta-feira, 3 e 4, as coordena√ß√Ķes de 13 dos 25 comit√™s de bacias hidrogr√°ficas do Rio Grande do Sul se reuniram para trocar experi√™ncias com o objetivo fortalecer os sistemas estaduais e nacional de recursos h√≠dricos. Al√©m das discuss√Ķes sobre a atual situa√ß√£o da √°gua, aconteceu, tamb√©m, a elei√ß√£o da nova diretoria do FGC, com mandato para os dois pr√≥ximos anos: Val√©ria Borges Vaz, representando a Regi√£o Hidrogr√°fica do Gua√≠ba, assume a coordena√ß√£o geral e, ao lado dela, o presidente do Comit√™ de Gerenciamento da Bacia Hidrogr√°fica do Rio Passo Fundo, Claudir Luiz Alves, assume como coordenador adjunto, representando a Regi√£o do Uruguai. Al√©m dele, Dilton de Castro tamb√©m ir√° assumir como coordenador adjunto, representando a Regi√£o Litor√Ęnea.

Antes coordenado por um presidente, Daniel Schmidt ‚Äď do Comit√™ Taquari-Antas ‚Äď, e um vice-presidente, Paulo Robinson ‚Äď do Comit√™ Gravata√≠ -, o FGC busca, para 2015, a maior integra√ß√£o dos comit√™s atrav√©s de uma coordena√ß√£o conjunta. Al√©m dos coordenadores, a equipe tamb√©m traz o nome de Mariza Beck, do Comit√™ Ibicu√≠, que assume como secret√°ria executiva do F√≥rum.

Para Claudir, o novo formato de coordena√ß√£o traz diferentes possibilidades para o F√≥rum e para os comit√™s: ‚ÄúEm outras √©pocas j√° houve este formato de trabalho - por Regi√£o Hidrogr√°fica. Agora, o grande objetivo √© a busca do novo: ter em mente a organiza√ß√£o do F√≥rum construindo um estatuto interno e um plano de comunica√ß√£o, a fim de divulgar melhor as a√ß√Ķes do f√≥rum e dos comit√™s. √Č preciso construir uma rede de comunica√ß√£o interna e externa‚ÄĚ, destaca. O trabalho, para Claudir, √© a busca por estreitar rela√ß√Ķes: ‚ÄúPrecisamos estreitar a rela√ß√£o com os √≥rg√£os gestores da pol√≠tica estadual de recursos h√≠dricos e buscar uma efetiva participa√ß√£o da entidades associativas. √Č um desafio‚ÄĚ, conclui.

A nova coordenadora geral acredita na for√ßa da gest√£o para a mudan√ßa do cen√°rio dos recursos h√≠dricos no estado. ‚ÄúNosso objetivo enquanto coordena√ß√£o √© organizar a estrutura do F√≥rum Ga√ļcho, regulamentando sua atividade e buscando, principalmente, a articula√ß√£o pol√≠tica da gest√£o das √°guas do estado. Queremos contar com os comit√™s para que consigamos marcar a gest√£o das √°guas no RS como uma nova era, um novo momento com uma √°gua de maior qualidade e quantidade suficiente para as atividades do estado‚ÄĚ, salientou Val√©ria.

A reuni√£o, que destacou os 20 anos da Lei Ga√ļcha Das √Āguas e dos 50 anos da Lei de Cria√ß√£o das Ag√™ncias e Comit√™s de Bacia na Fran√ßa, contou com a presen√ßa da Ag√™ncia francesa Loire-Bretagne que trouxe experi√™ncias de gest√£o de recursos h√≠dricos do pa√≠s. Ainda, os membros do F√≥rum elaboraram uma carta sobre os cen√°rios futuros dos comit√™s de bacia hidrogr√°fica para representantes do governador eleito, Jos√© Ivo Sartori. O objetivo, destacam os membros, √© conseguir apoio tanto para a cria√ß√£o de novos conv√™nios para os comit√™s quanto para a institui√ß√£o em todo o estado, de Ag√™ncias de √Āgua que sejam capazes de regular e direcionar a a√ß√£o dos comit√™s com o foco principal na melhoria cont√≠nua da qualidade das √°guas. A pr√≥xima reuni√£o acontece em Porto Alegre, dia 15 de janeiro, e tem como pauta o Plano Estadual de Recursos H√≠dricos, elabora√ß√£o do estatuto do F√≥rum e as representa√ß√Ķes dos comit√™s no FGC e em c√Ęmaras t√©cnicas.

 

A equipe de coordenação para os próximos dois anos traz uma coordenadora geral, dois coordenadores adjuntos e, ainda, uma secretária executiva.

 

A reuni√£o do F√≥rum Ga√ļcho de Comit√™s contou com a presen√ßa de representantes dos comit√™s do estado